/ Cabelo

05set 2013

Antes e depois do tonalizante

Postado por às em Cabelo, Dicas, Resenha

Olá pessoal, tudo bom?

Há algum tempo atrás eu mostrei neste post o tonalizante que eu uso nos meus cabelos para retocar as mechas em casa. Eu gosto mais do meu cabelo com tons acinzentados do que com fundo dourado, e para isso uso tonalizante a cada 20-30 dias. Também uso shampoos desamareladores (veja aqui quais), que ajudam a manter o cinza por mais tempo. Então resolvi fazer o antes e depois da aplicação do tonalizante, bem como mostrar melhor como eu faço. Digo isso porque fiz algumas pequenas mudanças no processo desde que publiquei o post anterior, e que deram super certo! Meu cabelo não estava muito amarelado por causa da manutenção, mas as diferenças são bem visíveis.

Richesse 9.11 (cinza iceberg), solução reveladora, óleo de argan Yenzah e frasco aplicador com dosador

Richesse 9.11 (cinza iceberg), solução reveladora, óleo de argan Yenzah e frasco aplicador com dosador

O tonalizante que eu uso é o Richesse 9.11 Cinza Iceberg, mas vale a pena destacar que parte da linha Richesse da L’Oréal passou a se chamar Dialight. Pelo que vi, neste caso, foram as tonalidades mais claras, e esta cor 9.11 mudou de nome (mas não de cor!). O volume total da solução de tonalizante + revelador foi de 50 mL (20mL de tonalizante + 30mL de revelador, mantendo a proporção de 1:1 e 1/2). E desta vez eu apliquei nos cabelos secos e usei o frasco dosador que mostrei aqui, que é bem mais prático na hora de ajustar as proporções e homogeneizar. Coloquei também 10 gotas do óleo de argan da Yenzah, o qual fez milagres! Meu cabelo conseguiu sair ileso após o processo químico, além de ter ficado bem macio.

Shampoo Garnier Fructis de guaraná e máscara capilar Altamoda Alfaparf

Shampoo Garnier Fructis de guaraná e máscara capilar Altamoda Alfaparf Oil argan

Após a aplicação em todo o cabelo, deixei o produto agir por 8 minutos, tempo suficiente para acinzentar as mechas descoloridas, e não todo o cabelo. Para tonalizar todo o cabelo o fabricante sugere aumentar o tempo de pausa, coisa que eu nunca fiz e desconheço os resultados. Depois disso enxaguei abundantemente com água fria e fiz uma única lavagem com o shampoo da Garnier Fructis de guaraná (muito cheiroso!) e fiz hidratação com a máscara Altamoda com óleo de argan, da Alfaparf.

Para finalizar, utilizei o leave in da Nexxus e o mesmo óleo de argan da Yenzah (nas pontas somente) e sequei no secador com vento morno — nunca uso vento muito quente. Não fiz escova.

Leave in Nexus e óleo de argan da Yenzah.

Leave in Nexxus e óleo de argan da Yenzah.

Resultado: mechas acinzentadas e fios SUPER sedosos! Juro, nunca saí com os cabelos tão macios após um procedimento deste tipo.

Compare o antes e o depois:

Antes:

Antes do tonalizante 9.11: mechas com tom de loiro mais queimado.

Antes do tonalizante 9.11: mechas com tom de loiro mais queimado.

Depois de usar o tonalizante Richesse 9.11 (cinza iceberg):

Depois do tonalizante: efeito acincentado, principalmente sob a luz do sol.

Depois do tonalizante: efeito acincentado, principalmente sob a luz do sol.

Depois do tonalizante no sol.
Depois do tonalizante no sol.

 

Depois do tonalizante, na sombra. Repare que, com este tempo de pausa, o efeito se concentra apenas nas mechas descoloridas.

Depois do tonalizante, na sombra. Repare que, com este tempo de pausa, o efeito se concentra apenas nas mechas descoloridas.

Espero que tenham gostado do post! Beijos e até a próxima!

02set 2013

Resenha: máscara reconstrutora Shitake Bio Extratus

Postado por às em Cabelo, Dicas

Olá pessoal, tudo bom?

Eu já mostrei anteriormente para vocês como faço para manter o tom de loiro do meu cabelo. Só que o uso de tonalizantes acaba detonando um pouco os fios ao longo do tempo. Desde que comecei a fazer a escova inteligente há uns 5 anos nunca mais tive problemas com ressecamento nos cabelos, acho que essa escova funciona mais como um tratamento e deixa os fios super macios e sedosos (além de lisos, é claro!). Mas ultimamente tenho percebido que os fios têm ficado mais porosos por causa das sucessivas aplicações de tonalizante, das atividades físicas ao ar livre (maior exposição ao sol) e da natação.

Então fui atrás de uma máscara reconstrutora — que atuasse mais profundamente na fibra capilar — e que fosse boa, barata e de fácil acesso, ou seja, nacional. Se você não sabe qual a diferença entre os tipos de máscara capilar (reconstrutora, hidratante e nutritiva) eu explico melhor no vídeo. Fiz uma pesquisa na internet e vi que a marca Bio Extratus, que até então eu não conhecia, estava super bem cotada e preenchia os meus requisitos. Achei para vender esta máscara reconstrutora de shitake em uma loja de produtos de cabelo e paguei para ver.

E não me arrependi! Simplesmente adorei a máscara, o cabelo fica muito macio, brilhoso e, de quebra, super cheiroso! Dá para sentir a fibra mais saudável após a aplicação, a diferença é bem nítida. Eu paguei em torno de R$20,00 nesta máscara, sendo que o frasco vem apenas 250g. E já adianto para vocês: não dura muito não, pois o cabelo absorve muito produto durante a aplicação (isso porque o meu está curto). Mas vale a pena: o produto é excelente, satisfação certa quando se quer dar “aquela melhorada top” nos fios.

Assista o vídeo da resenha, pois dou mais informações do produto, aplicação, etc.

Fotos mais detalhadas do produto:

mascara_bioextratus_shitake_1

Detalhes do rótulo

Detalhes do rótulo

Espero que tenham gostado da dica de hoje, afinal, todas merecemos ter cabelo de princesa, certo?
Beijos e até a próxima!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...